• Black Facebook Icon
  • Instagram Social Icon
1/6

Inventário de Proteção do Patrimônio Cultural : : Serro/ MG

O inventário é um instrumento de preservação do patrimônio cultural previsto no § 1º do Art. 216 da Constituição da República, no Art. 209 da Constituição do Estado de Minas Gerais e no Anexo II da Lei Estadual nº 18.030, de 2.009. Este instrumento legal proporciona o reconhecimento de um bem cultural, objetivando sua proteção e caracteriza-se como uma ferramenta de gestão do município que auxilia na conservação e divulgação de seu patrimônio cultural. O trabalho consiste na catalogação do acervo de bens culturais do município, a partir de levantamentos de campo e entrevistas com os moradores locais. Identificação e indicação geográfica dos bens culturais em mapa cadastral.

 

Descrição sucinta do bem cultural, constando informações básicas quanto à sua importância histórica, características físicas e estado de conservação. Elaboração dos cronogramas e do plano de ações visando à proteção, atualização de informações e divulgação. A o3L arquitetura foi responsável pela execução do Inventário de Proteção do Patrimônio Cultural dos distritos de São Gonçalo do Rio das Pedras e Deputado Augusto Clementino (Mato Grosso), nos anos de 2013 e 2014, respectivamente. A relação do patrimônio cultural inventariado em São Gonçalo totaliza 51 bens culturais. Destaque especial a Igreja Matriz de São Gonçalo - meados do século XVIII - seu orago e o acervo de bens móveis e integrados, tombados pelo IEPHA, além da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, tombada na esfera municipal. Dezenas de imóveis, dentre casas e comércios, revelam os antigos, e ainda atuais, modos de viver e reforçam a relação estabelecida entre o espaço e as pessoas que ali habitam. Os folguedos tradicionais, sagrados e profanos, também contribuem para a atmosfera barroca do distrito. As belas cachoeiras e cursos d’água cristalina constituem o acervo de sítios naturais. O mistério e a fé que norteiam, por sua vez, o distrito de Deputado Augusto Clementino, ou Mato Grosso, assim como é popularmente conhecido, responde pela motivação e sacrifício da comunidade em erigir a Capela de Nossa Senhora das Dores no alto da Serra da Caroula, onde, todos os anos, centenas de fieis se deslocam para a “cidade fantasma”, com o intuito de celebrar, agradecer, pedir e comungar da atmosfera sagrada do lugar. Compõem o acervo de bens culturais do distrito, além da Capela e da romaria, conhecida como Jubileu de Nossa Senhora das Dores, dezenas de outros bens, dentre peças sacras, imagens, retábulos, saberes ancestrais – modos de construir a casa de adobes, modo de fazer rapadura, cachaça, queijo, doces. Há também os ritos das benzedeiras, as rezas e outras festas sagradas de menor vulto, porém não menos importantes. Integram também esta relação, os sítios naturais, constituídos por cachoeiras, serras e grandes rochas. Nossa equipe levantou, pesquisou e elaborou um total de 42 bens culturais no Distrito de Deputado Augusto Clementino, abrangendo os povoados de São José, Pedra Redonda, Santuário e a Igreja de São Sebastião.

Equipe:

Coordenação Geral e RTs:

Arquiteto e Urbanista Frederico Prates

Arquiteto e Urbanista Daniel Quintão

Colaboração:

Arquiteto Breno Muniz (Fotográfia)

Arquiteta Daniela Ayala (Levantamento de Campo e Inventário)

Setor de Proteção do Patrimônio Cultural de Serro

Estagiários:

Bruna Costa